PC pede prisão preventiva de pai suspeito de abusar sexualmente de três filhas

PC pede prisão preventiva de pai suspeito de abusar sexualmente de três filhas

A Polícia Civil apresentou à Justiça o pedido de prisão preventiva contra o pai suspeito de abusar sexualmente de três filhas.  Ele foi denunciado pela própria companheira e mãe das crianças, que têm entre 7 e 12 anos de idade. As vítimas relataram que sofrem os abusos há, pelo menos, nove meses.  O suspeito já é detento do Sistema Prisional e cumpre pena em regime semi-aberto  por prática de assalto e homicídio. Um dos abusos teria ocorrido durante uma visita, dentro do presídio.

O caso foi denunciado no último sábado (5) ao delegado Marcelo Falcone, que estava de plantão na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam). As três crianças foram encaminhadas para exames sexológicos e atendimento médico.  

Apesar do suspeito já ser detento, Falcone pediu à Justiça a decretação da prisão preventiva do denunciado, como forma de resguardar a segurança das vítimas. O objetivo do pedido é que o suspeito fique recolhido por tempo indeterminado ao presídio e não tenha direito a sair às ruas e só retornar à penitenciária à noite, como ocorre no regime semi-aberto.  

À polícia, a mãe das crianças relatou que já convive maritalmente com o suspeito há cerca de 12 anos e teve com ele cinco filhos, sendo dois meninos e três meninas. As crianças têm idades entre cinco e 12 anos.  A mãe, que não terá seu nome revelado para resguardar a segurança das menores, informou que apenas soube dos abusos na sexta-feira (4) e procurou a delegacia imediatamente.  

“Assim que tomamos conhecimento, representamos pelas medidas protetivas em favor das vítimas e  prisão preventiva do agressor.  A mãe estava muito indignada pelo ocorrido e temerosa, por seu companheiro ser bastante perigoso. Ouvimos as crianças, na presença da mãe. Elas relataram que foram abusadas várias vezes e até dentro do presídio, no momento que visitavam o pai”, afirmou o delegado.

O delegado afirmou estar convencido da prática do delito. Ele destacou que as crianças relataram os abusos com riqueza de detalhes, o que demonstra que realmente sofreram da violência denunciada.

"Tenho 13 anos de carreira policial e fiquei bastante impressionado com o caso, principalmente pelo fato dos abusos terem sido praticados pelo próprio pai das crianças e até dentro de um presídio. Estou convencido da prática do crime e, por isso, representei imediatamente pela prisão preventiva. Para mim, o relato das vítimas não deixou dúvidas", observou o delegado.

 

.